Sonia Delaunay (1885 a 1979) é um ícone por sua performance em diversos segmentos – tendo se tornado um marco na história feminina mundial. Foi uma artista completa, atuando com moda, pintura, estamparia, cenografia, design de interiores, entre outras esferas.

          Nasceu na Rússia mas foi em São Petesburgo que se envolveu e aprimorou seus conhecimentos sobre a arte. Anos depois, mudou-se para Paris e conheceu Robert Delaunay, pintor com quem desenvolveu uma série de trabalhos e se casou tempos depois. Numa parceria da dupla que a “Teoria da Simultaneidade” nasceu. O estudo enfatiza a sensação que movimento proveniente do posicionamento rente de cores contrastantes.

          Suas obras são criações a partir desses efeitos, uma estética com ar abstrato, com linhas e formas geométricas e predominante seleção de cores primárias, como vermelho, azul e amarelo. Nos anos 10 se aproximou da poesia, colaborou com o suíço Blaise Cendrars e com o romeno Tsiatan Tzara em alguns projetos. Em uma ação experimental nos anos 20 buscou uma fusão de palavra, corpo e movimento com a arte gráfica – criando os “vestidos-poemas”. Assim nasceu o Atelier Simultané: lugar onde criava os tecidos com estampas e confeccionava roupas e acessórios com esses materiais.

          Em 1925 fez uma vitrine com suas criações para uma exposição de arte moderna na cidade, a pedido de Jacques Heim. O sucesso foi tão grande que abriu a marca Maison Delaunay – vestindo figuras como Marcel Breuer, Erich Mendelsohn e Walter Gropious. A marca não superou as expectativas e deu espaço para a Metz & Co., loja de departamento holandesa que se impôs como responsável pela produção e comercialização das criações de Sonia pelos próximos 30 anos. Tempos depois, a artista focalizou sua energia na pintura – mas nunca abandonou suas experimentações têxteis, se firmando como uma importante referência de moda para marcas de todo o mundo.

          Assim nasce a coleção Verão 2018 Sarah Chofakian, com curvas aliadas às linhas geométricas, combinações de cores ousadas e inovadoras, e personalidade marcante. A coleção compartilha essa vitalidade, humor, dualidade de intensidade e delicadeza nos modelos. Fugindo dos babados e formas tradicionais usados na época, as criações tem o perfil adotado pela artista, de mulher mais exata, racional e independente – que busca conforto, praticidade e conteúdo nas formas de se exibir ao mundo.